HomeNotíciasArtigosMISTÉRIOS EM MARTE

MISTÉRIOS EM MARTE

Região de Cydonia
Essas fotos foram conseguidas pela sonda Viking, em 1976, e nela aparecem estruturas piramidais e uma formação semelhante a uma Face. Esta aparece numa outra foto, com o Sol iluminando-a em 20° diferença na angulação de luz.

Recentemente os americanos comemoraram sua independência colocando uma nave não tripulada na superfície de Marte. A NASA gastou milhões de dólares para mandar a nave Pathfinder e o robô Soujourner ate este planeta. Esta missão teve como principal objetivo colher elementos sobre a composição da superfície e da atmosfera de Marte. Outro objetivo não menos importante era tentar identificar vestígios de vida no planeta vermelho. Desde a última vez que uma nave da Terra esteve em Marte, a Viking em setembro de 1976, muito se tem especulado sobre a possibilidade de vida neste planeta e, principalmente, que a NASA estaria escondendo importantes descobertas realizadas na sua superfície. No entanto, ate o momento não existe nenhuma evidencia de vida, pelo menos parecida com a nossa, em nosso vizinho planeta. Parece que em nosso sistema solar somente a Terra apresenta, pelo menos atualmente, condições ambientais ideais para o desenvolvimento natural de vida inteligente. Por outro lado, devido as grandes distâncias, vir de outros sistemas, mesmo os situados em nossa galáxia, iria exigir um tempo de viagem e uma quantidade de energia incompatíveis com os recursos universais disponíveis e conhecidos da nossa ciência.

Estatisticamente, entre os milhões de planetas que devem existir no Universo com condições de desenvolvimento de vida parecido com o nosso, todos devem estar a distancias ainda inconcebíveis de serem alcançadas por naves construídas pelo homem. Alias, este e um dos principais argumentos utilizados pelos opositores da Ufologia. Segundo estes, tomando como base a velocidade da luz e as quantidades de energia necessárias, viagens espaciais para planetas e sistemas tão distantes são impossíveis de serem realizadas. E ainda, como as leis Físicas são universais, se houve desenvolvimento de vida inteligente nestes sistemas, por mais adiantados que eles estejam, viagens no sentido inverso também o serão. Assim, se aceitarmos como verdadeiros estes argumentos, em parte usados por muitas pessoas para justificar a sua descrença na existência de discos voadores, seria muito difícil de acreditar que a grande quantidade de avistamentos e contatos, que nos últimos 50 anos tomamos conhecimento quase que diariamente, sejam verdadeiros.

Imagem colorizada da Face e na região de Cydonia em Marte

Estas são as imagens famosas da sonda sovietica Viking que mostra a Face em Marte e outras características anômalas. A ” Face ” em Marte é uma formação de pedra na superfície de Marte que se assemelha a um rosto humano enorme fitando diretamente o espaço. Tem aproximadamente 2.5 km de comprimento e 2.0 km de largura, 0.4 km de altura e é localizada em uma planície plana conhecida como Cydonia Mensae em Marte, no hemisfério Norte. A Face e outros objetos descritos aqui foram fotografados pela sonda Viking no verão de 1976, de uma altitude de aproximadamente 1700 quilômetros. O objetivo da missão Viking era procurar evidência de vida inteligente em Marte, ou agora ou no passado.

A foto da Face foi descartada por cientistas no Laboratório de Jato-Propulsão (Jet Propulsion Laboratory) como um truque de luz e sombreamento e foi esquecida.
A imagem original foi redescoberta por Vincent DiPietro e Gregory Molenaar, dois engenheiros do Centro de Vôo Espacial (Goddard Spaceflight Center), vários anos depois. Eles também acharam a segunda imagem, contendo a Face sob uma iluminação ligeiramente diferente, com o Sol aproximadamente 20 graus mais alto no céu.
As primeiras duas imagens foram processadas a partir de emissão original. O processo consistiu em aplicar um filtro, definindo e aumentando o contraste e o brilho, e removendo o ruído(interferências) da imagem.

A primeira foto obtida.

A segunda imagem, com a iluminação diferenciada.

Estrutura Piramidais

Perspectiva em 3-D.

Close-up da Pirâmide DM (DiPietro e Molenaar). Nota-se o que poderia ser interpretado como possível dano de explosão, ao lado direito. A base da Pirâmide é de aproximadamente 51km, a altura aproximada é de 1250 metros.

Visão estereoscópica da Pirâmide DM e a área circunvizinha.

Visão estereoscópica da Pirâmide DM aumentada 2 vezes.

 Phobos 2

 

Os cientistas trabalharam sobre os últimos restos de filme que a sonda mandou para a Terra, mas estes renderam mais perguntas que as respostas. Segundo o noticiário da Tv soviética, as fotos gravadas pelas câmeras da Phobos2, que naquele momento estavam apontadas para Marte, revelaram uma escura forma elíptica entre o satélite e a superfície do planeta.

Quando a sonda soviética Phobos 2 estava em órbita em torno de Marte, no dia 27 de março de 1989, perdeu-se contato com o satélite em circunstâncias não explicadas. Os comentários oficiais foram mínimos, mas levantaram as antenas dos entusiastas de OVNIs. Parecia haver suficiente informação para desconfiar que as autoridades ocultavam uma inquietante possibilidade: a sonda soviética pode ter sido atacada por uma nave alienígena. A Phobos 2 foi lançada em meados de 1988, para estudar Marte e sua lua Phobos, que deu nome à nave. No mês de março seguinte ja havia mandado fotos de Marte e da elíptica e encaroçada Phobos e deveria mandar mais.

Às 15h59, horário de Moscou, o sinal da nave desapareceu abruptamente. Nada mais se ouviu até as 20h50 quando um débil contacto foi restabelecido por treze minutos após os quais o sinal cessou completamente. Mais tarde, os engenheiros relataram que a Phobos 2 saíra girando fora de controle e que o provável responsável por isso fora um defeito do computador ou, aumentando o mistério, a colisão com um objeto não identificado.

Os cientistas trabalharam sobre os últimos restos de filme que a sonda mandou para a Terra, mas estes renderam mais perguntas que as respostas. Segundo o noticiário da Tv soviética, as fotos gravadas pelas câmeras da Phobos2, que naquele momento estavam apontadas para Marte, revelaram uma escura forma elíptica entre o satélite e a superfície do planeta. Consta que a última imagem fotográfica que ainda não foi tornada pública, é ainda mais estranha. Nas palavras de um cientista britânico, aparentemente os soviéticos viram nela uma coisa que não deveria estar lá.
Como não houve outra informação oficial, as causas da perda da perda da Phobos 2 estão abertas à especulação. O escritor americano Zecharia Sitichin, cuja teoria sobre a herança alienígena da humanidade, une-se a ouros membros da comunidade ufológica na opinião de que o objeto escuro é de fato uma espaçonave alienígena. Ele acha que a última fotografia secreta é o primeiro registro de uma real guerra nas estrelas: uma nave alienígena atacando e destruindo a intrusa Phobos 2.


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/ufoturismo/www/wp-includes/functions.php on line 3730

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/ufoturismo/www/wp-includes/functions.php on line 3730